O Culto precisa de ordem?

Para o Prof. Paul W. Hoon, cada elemento do culto está vinculado a elementos da História da Salvação. No Antigo Testamento temos a preparação para a vinda do Messias; no Novo Testamento, temos o cumprimento da promessa e a nova esperança de sua volta ao mundo. Da mesma forma, na Entrada do Culto, Deus nos saúda com sua Palavra como um bom anfitrião que nos recebe em sua casa. O começo do culto é o momento de arrependimento, oração pelas dores do mundo, o anúncio do perdão e o louvor, da mesma forma como as tantas orações e hinos no livro de Salmos, por exemplo. Comparado ao AT, a Liturgia de Entrada é a preparação para a Palavra que vai ser recebida.

Assim, caminhamos para o centro do Culto: Cristo! Da mesma forma como a História da Salvação tem o seu centro na encarnação de Cristo, também o Culto Cristão nos leva ao núcleo onde o próprio Cristo – a Palavra encarnada – se comunica conosco. Por meio da pregação da Palavra, o próprio Deus se revela e se comunica com o ser humano. No centro do Culto está somente Cristo! E este centro é a leitura e pregação da Palavra de Deus. No centro do culto, o próprio Deus nos serve com a sua Palavra.

Após ouvir o anúncio, somos convidados a agirmos como os discípulos e apóstolos: é preciso ir e anunciar o que foi ouvido pelo mundo; é preciso viver o que foi ouvido, pois isso também é testemunho. Como irmãos e irmãs em Cristo, celebramos o Sacramento da Ceia do Senhor onde vemos e experimentamos palpavelmente o próprio Deus que se faz refeição ao mesmo tempo em que não deixa de ser pão e vinho. Como Igreja, intercedemos por aqueles que sofrem. Ao fim, como o final do livro de Apocalipse, recebemos a certeza da presença de Deus em nossas vidas através da Bênção.

Desta forma, o culto pode ser interpretado como um mini resumo semanal da própria Bíblia. E, por isso mesmo, não deve ser confuso ou bagunçado, mas organizado a partir da própria História da Salvação revelada com seu centro em Jesus, nosso Senhor e Salvador.


Dica de Livro: Introdução ao Culto Cristão – James F. White.

Compartilhe
Join the discussion