A sede insaciável

Leia o texto bíblico base para esta mensagem: João 4.5-42

Nos evangelhos se encontram inúmeros relatos de pessoas que após se encontrarem com Jesus Cristo tiveram suas vidas transformadas por Ele. O fato é que as pessoas não podiam mais ser as mesmas após falarem com o Senhor, ouvirem seus ensinamentos e serem curadas interiormente e externamente por Ele. No referido texto do evangelho, vê-se um encontro e, novamente, uma mudança de vida, uma transformação. Jesus e a mulher do poço (a mulher samaritana). Veja como se deu este encontro, o diálogo e a cura de Jesus Cristo!

1) A SAMARITANA

Neste texto Jesus está no meio de uma viagem. Depois de conversar com Nicodemos, um judeu renomado, ele saiu da região da Judeia e foi rumo à Galileia. Antes de chegar ao destino era necessário atravessar a província da Samaria. Depois de muita caminhada, Jesus juntamente com seus discípulos chegaram a uma cidade samaritana chamada Sicar. Cansado da viagem, pois também era humano, Cristo se assentou junto a uma fonte, na verdade um poço que fora criado por Jacó. Seus discípulos o deixaram ali e foram até a cidade para comprar alimentos.

Estando ali sentado, eis que apareceu uma mulher que morava naquela região da Samaria e, por isso, é denominada samaritana. Estava ali para tirar água do poço. Vendo-a, o Senhor lhe pede água para beber. Neste momento a mulher se assusta, pois, judeus e samaritanos eram povos inimigos. Ela diz: Como, sendo tu judeu, pedes água para mim que sou samaritana? (v.9). Jesus então responde: se você soubesse quem eu sou, você me pediria água e eu te daria a água viva! (v.10) Obviamente Cristo não está falando daquela água do poço, está falando da vida eterna. Mas a mulher, sem entender, diz: você não tem como tirar água, o poço é fundo, onde você tem água viva? E ainda diz: és tu maior que Jacó, pai de José, que nos deu este poço? (v.11-12) Percebe-se que a mulher não sabe quem é Jesus Cristo.

Jesus então faz uma analogia com a água. Sabiamente diz que quem beber da água daquele poço, ou em qualquer outro, voltará a ter sede, porém, quem provar da água que Ele oferece nunca mais terá sede. E continua, a água que ele der será uma fonte a jorrar para a vida eterna! O Senhor está falando do perdão, da salvação e da vida eterna, pois isto o mundo não pode dar, somente Jesus Cristo. Dessa forma, somente Cristo pode saciar o ser humano quando se refere a perdão e salvação. Nota-se que não se trata apenas de um evento futuro, já naquele momento Jesus quer saciar a sede daquela mulher.

Uma coisa é certa, para Jesus, nada é por acaso. Ele não parou naquele local porque apenas estava com sede, parou ali porque sabia quem viria até aquele local tirar água. Ele não quer apenas saciar a sua sede, mas a sede daquela mulher. As palavras de Cristo não são quaisquer palavras, são premeditadas, são ditas visando um objetivo, neste caso, ajudar esta mulher samaritana. Foi premeditado, não foi por acaso. Por quê? Porque aquela mulher estava com sede. Não somente de água por estar naquele poço, mas sede por uma vida transformada, uma nova vida. No v. 15 percebe-se isto, pois ela diz: Senhor, dá-me de beber dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la. Ela tem sede por este algo a mais que o Senhor menciona ao se referir sobre a água viva que é uma fonte a jorrar eternamente. Sim, ela tem sede!

No diálogo que segue Jesus mostra-se preocupado não apenas com a salvação daquela mulher, mas também com os seus problemas pessoais. Após pedir desta água oferecida por Cristo, o próprio Senhor diz: vai, chama teu marido e vem cá (v.16). Jesus menciona o marido desta mulher pois ele sabe os problemas que ela enfrentou e está enfrentando, quais mágoas, frustrações e pesos tem carregado sobre seus ombros. A mulher prontamente respondeu e, na verdade, esconde os fatos dizendo: não tenho marido (v.17). O Senhor responde: é verdade, você não tem marido, porque este com quem estás não é teu marido, porém já tivestes cinco maridos (v. 17-18).

Este era o fardo pesado que a mulher carregava. Esta é a sede que Jesus quer saciar, este é o problema que o Senhor quer resolver. Estes são os pecados que ele quer perdoar. Compreende-se que este fato é uma vergonha para esta mulher que, em um primeiro momento, tentou esconder de Jesus Cristo, algo com que ela se deparava todos os dias, um problema que a perseguia, uma “ferida aberta” que a incomodava. Uma sede que ela não podia saciar. Por isso Jesus está ali, Ele sabe do que a mulher precisava, aos seus olhos tudo pode ser visto, pois ele enxerga além daquilo que olhos humanos podem captar.

Depois que o Senhor expôs a vida daquela mulher diante de seus olhos, seus pecados, suas feridas, seus fardos, a samaritana ficou impressionada, e disse: vejo que tu és profeta! (v.19) Em outras palavras, ela diz que Jesus porta a mensagem vinda da parte do Senhor Deus. De fato, Cristo traz a mensagem de Deus, porém Ele mesmo é a mensagem da salvação. Ele é palavra que se tornou carne (Jo 1.1 – Logos), Ele é a vontade do Pai em pessoa! É por este motivo que Ele está ao lado desta mulher pecadora, somente Ele pode ajudá-la, pode trazer a paz que ela não tem.

2) ONDE ENCONTRAR DEUS (SUA AJUDA)?

Depois que entendeu que não se tratava de uma pessoa qualquer, a mulher resolveu fazer uma pergunta para Jesus. Ela perguntou: onde é o lugar correto para se adorar a Deus? Os samaritanos dizem ser neste monte, mas os judeus dizem que é em Jerusalém que se deve adorar ao Senhor. (v.20) Estas palavras demonstram, entre outras coisas, que esta mulher quer a ajuda de Deus e que provavelmente já a procurou o adorando naquele monte na região da Samaria. O pecado que incomodava fez com ela procurasse ajuda. Ela quer adorar a Deus, pois pode ser a cura de sua dor.

É possível imaginar esta mulher desesperadamente tentando saciar sua sede por perdão buscando adorar a Deus no monte na Samaria, porém impedida pelas intrigas com os judeus de adorar ao Senhor em Jerusalém. Sua pergunta tem como pano de fundo esta dúvida, pois sua sede não foi saciada na Samaria, talvez em Jerusalém pudesse achar o que estava procurando, cura, paz, uma nova vida. Jesus, enfático, diz que a água deste mundo não pode saciar a sede que aquela mulher tem, mas somente a que ele oferece pode saciar a real sede daquela samaritana. A culpa de ter tido cinco maridos não só pesava, mas também envergonhava, pois certamente ela não era bem quista pelas pessoas da sua região. A mulher, naquela época, não era valorizada, ainda mais tendo se casado e se separado cinco vezes, vivendo agora um sexto casamento. Ela queria ajuda, queria saber onde procurar ajuda e já havia ido atrás de auxílio, porém, agora, a ajuda veio até ela: Jesus Cristo. Embora não tenha percebido ainda, o Senhor já sabe do que ela precisa e irá saciar sua sede por perdão e nova vida neste mesmo dia.

Jesus dá grandes ensinamentos na maneira como trata esta mulher. Primeiramente Jesus vence barreiras ao falar com uma mulher, mostra que não está preocupado com um povo em específico, mas quer a salvação de todas as pessoas, por fim, deseja saciar a sede da humanidade, assim como saciou a sede daquela mulher. Jesus responde à pergunta sobre onde adorar a Deus. Ele diz, chegará o dia que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis ao Senhor. Vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão ao Pai em espírito e em verdade, porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito e importa que seus adoradores o adorem em espírito e em verdade (v.23-24). Em resumo, Jesus está dizendo que em breve, isto é, na sua morte e ressurreição, não haverá mais um local certo para adorar ao Senhor, qualquer lugar será lugar de adoração, quando a adoração acontece verdadeiramente de coração. Não será necessário ir a Jerusalém adorá-lo, basta onde estiver, adorá-lo de pura, livre e verdadeira vontade.

A mulher reconhece e diz: há de vir o messias que nos falará sobre estas coisas! Jesus então afirma: Eu o sou, eu que falo contigo! (v. 25-26) A esta altura os discípulos chegaram trazendo alimento da cidade. A mulher admirada com o que ouvira, deixou sem cântaro de água vazio e foi até a cidade onde falou à alguns homens sobre Jesus Cristo, convidando-os a irem até ele, pois ele pode ser o messias que há tanto tempo é aguardado. Todos foram até Jesus e também conversaram com ele. O desfecho desta história é visto a partir do v. 39, onde muitos samaritanos daquela cidade creram em Jesus Cristo em virtude do testemunho da mulher. Com a mulher Cristo também tinha o plano de alcançar toda a cidade de Sicar. Por pedido das pessoas, Jesus ficou ainda dois dias com eles antes e seguir viagem para a Galileia e, segundo o v. 41, muitos outros creram nele, por causa da sua palavra.

3) O ENCONTRO COM JESUS                                      

Hoje também há possibilidade real de um encontro com Jesus Cristo. Não em nenhum poço, mas na igreja. Ele se encontra com as pessoas, porque sabe que também tem sede, uma sede que somente Ele pode saciar. A mulher trazia em si pecados escondidos, pecados que pesavam em sua vida. O que o leitor traz em sua vida, em seu coração? Que pesos tem carregado? O que tem tentado esconder do Senhor? Será que a humanidade não tem a mesma sede que aquela mulher tinha?  

 A samaritana é a prova de que ninguém, ao ter um encontro com Jesus Cristo, continua sendo a mesma pessoa, pois a partir do encontro com Cristo tudo se transforma. Toda sede é esgotada, pois instaura-se uma fonte a jorrar desde agora e para sempre. Vive-se a paz.

Como aquela mulher, hoje ainda se procura ajuda. Ela queria saber onde de fato poderia adorar a Deus, pois queria cura para suas feridas internas. Talvez a procura de ajuda em tantos outros lugares apenas confunda, pois, assim como foi com a samaritana, esta água não mata a sede do coração. Somente Cristo sacia a sede, quando diante dele se derrama a vida, sem encobrir nada.

Provavelmente se pergunta: como derramar a vida diante de Deus. Onde? Faz-se isto em espírito e em verdade, de coração arrependido, revelando tudo ao Senhor em oração, mostrando quem realmente é, para que Ele possa saciar a sede de perdão, salvação e eternidade. Já agora, não é uma decisão para depois. Hoje Cristo quer saciar a sede, quer dar nova vida e transformação, assim como transformou a mulher e os homens na pequena cidade.

Existe sede? Jesus quer saciar a sede! Quem beber desta água, não tornará a ter sede, terá uma nova vida hoje e eternamente. Cristo sabe o que cada pessoa precisa, assim como sabia a necessidade da mulher no poço. Esta palavra não é em vão, porque é a palavra do Senhor. Se ela está sendo anunciada hoje é porque existe sede mais do que nunca, da água viva que Jesus Cristo oferece. É preciso beber, saciar a sede do coração bebendo da água viva oferecida por Cristo, uma fonte a jorrar para a vida eterna, que concede paz com Deus e consigo mesmo.

Que Deus abençoe, amém!


Texto: Luiz Felipe Scheidt

Arte da capa: Ana Carolina Gohl Nagel

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *